domingo, 18 de maio de 2008

Dá-me a tua mão...

"Dá-me a tua mão: Vou agora te contar como entrei no inexpressivo que sempre foi a minha busca cega e secreta. De como entrei naquilo que existe entre o número um e o número dois, de como vi a linha de mistério e fogo, e que é linha sub-reptícia. Entre duas notas de música existe uma nota, entre dois fatos existe um fato, entre dois grãos de areia por mais juntos que estejam existe um intervalo de espaço, existe um sentir que é entre o sentir - nos interstícios da matéria primordial está a linha de mistério e fogo que é a respiração do mundo, e a respiração contínua do mundo é aquilo que ouvimos e chamamos de silêncio."
(Clarice Lispector)

4 comentários:

Codinome Beija-Flor disse...

Mari,
"Dá-me a tua mão", pra segurar meu coração, que só falta escapar do peito depois que leio algo assim.
Bjos

Teca Gama disse...

Belíssimo. Isso me fez lembrar o que se sentw quando dois olhares de desejo se encontram. Fiquei arrepiada.!!!!!!!!!

Mari disse...

Te segura Florzinha. Balance, mas não caia tá!
Quero te dizer que tudo passa e somente o amor fica. Aquele passamos a não cobrar de nós mesmos, entende?

Bjs

Mari disse...

Tekinha,

Tu estás apaixonada né?! Esses arrepios são ótimos, curta-os...

Bjs